A cidade

Histórico  -   Origem de Caetanópolis

O povoamento iniciou-se no século XVIII, com a instalação de fazendas de criação. O nome primitivo foi Cedro, o mesmo nome dado ao córrego. Na década de 1870 inicia-se o processo de industrialização com a implantação da fábrica do Cedro, fundada pelos irmãos Bernardo, Caetano e Antônio Cândido, filhos de um grande fazendeiro: Major Mascarenhas.
Antônio Gonçalves da Silva Mascarenhas, seu nome completo, foi um caldeireiro que viveu na fazenda da Vereda, em Sabará, de propriedade de seu padrinho, o Visconde de Caeté. Montando alambiques de fazenda em fazenda, mudou-se para a fazenda Capim Branco, no arraial de Bom Jesus do Matosinhos. Lá, em 1824, casou-se com Policena Moreira da Silva, filha do proprietário. Depois, resolveu montar um armazém em Taboleiro Grande, hoje a cidade de Paraopeba. Como o negócio teve prosperidade, em 1836, já com 6 filhos adquiriu a fazenda de São Sebastião, iniciando a vida de fazendeiro. Ao todo, o casal teve 13 filhos, entre eles Antônio Cândido, Bernardo e Caetano Mascarenhas.
Em 1868, estes três irmãos decidem montar uma fábrica de tecidos e adquirem a fazenda da Ponte em 1870, situada nas proximidades de Taboleiro Grande, no local onde hoje está Caetanópolis. Em 12 de agosto de 1872 foi inaugurada a fábrica do Cedro, com 18 teares vindos dos Estados Unidos, sendo esta a primeira fábrica têxtil de Minas e a segunda do Brasil a funcionar sem interrupções.



A cidade no início do século
Com a implantação da fábrica, inicia-se a história de Caetanópolis, a partir da vila operária que se desenvolveu com o passar do tempo.
Em 1906, foi construída a primeira linha telefônica de longa extensão do estado com 24 Km, ligando a antiga localidade do Cedro à Estação de Tabocas, da Estrada de Ferro Central do Brasil. A primeira escola foi o pátio da fábrica, dirigida por D. Maria Emília Martins Pereira, empossada em 1909. 
Em maio de 1911, alguns moradores tiveram a idéia de fundar um grêmio literário com o nome de Grêmio Literário e Recreativo Cedrense, que foi inaugurado em 7 de setembro de 1912, no prédio da Praça Aníbal Pinto Mascarenhas (depois utilizado para armazém,cinema e hoje abriga a Casa de Cultura).
Em 1912 foi fundada a Igreja Matriz de Santo Antônio.
Em 1939 com a doação de cem contos de réis, feita por Dona Catarina Diniz Mascarenhas ao Dr. Guilherme, surge o hospital Dr. Pacífico Mascarenhas, referência na região até hoje.




A emancipação

Caetano Mascarenhas
 A emancipação da cidade veio com a idéia do Padre João da Silva Chaves, com apoio de lideranças políticas. O processo foi demorado e demandou várias tentativas. Com a Lei n0 1039 de 12 de dezembro de 1953, o Cedro foi emancipado e desmembrado do município de Paraopeba, passando a chamar Caetanópolis em homenagem a Caetano Mascarenhas. O nome Cedro foi rejeitado por haver uma cidade homônima no estado do Ceará.

Foi instalado o município em 01 de janeiro de 1955 e seu dia é comemorado em 13 de junho, em homenagem ao seu santo padroeiro, Santo Antônio de Pádua.






O escudo de Caetanópolis
A lei orgânica do Município de Caetanópolis, promulgada em 20/05/1990 definiu como símbolos municipais o escudo, a bandeira e o hino (ainda não escolhido). O escudo, de autoria de Geraldo Carlos Firmiano Ribeiro e Antônio Joaquim Barbosa Mascarenhas, tem os seguintes elementos: a cruz branca representando a "fé", o fundo azul com as estrelas do Cruzeiro do Sul representando a "pátria". Acima, um fuso de fiar e uma engrenagem em amarelo ouro simbolizam "trabalho e riqueza". Do lado direito, o ramo de louro significa "vitória" e do lado esquerdo o ramo de oliveira simboliza a "paz". Complementando o escudo, a legenda: "Inteligência e Ordem". A bandeira que carrega este escudo no centro é branca.
 A população do município em 31 de dezembro de 1955 era de apenas 2.049 habitantes.
Com a emancipação e ainda sem prefeito, o intendente Marinho Vieira Nicácio, nomeado pelo governador, organizou a Prefeitura. O primeiro prefeito eleito foi Antônio Joaquim Mascarenhas.




 Município da Zona Metalúrgica, integra a micro-região calcária de Sete Lagoas.
O município é drenado pelos Córregos da Lontra (limite de Caetanópolis e Sete Lagoas, afluente do Ribeirão São João), São Bentinho, Grutinha, Saquinho, Pascoal, Cedro Velho, Traíras e Pindaíbas. O principal curso dágua é o Ribeirão do Cedro, que nasce na Serra do Imbiruçu e corre na direção leste-oeste. A cidade faz limite com os municípios de Paraopeba e Sete Lagoas.
Sua área é de 156 km2. Ao Sul e Leste, com domínio das rochas do grupo Bambuí, ardósia, calcários, metalssístico e folhedos. Do ponto de vista morfoclimático, o município pertence ao "Domínio dos Campos e Cerrados". Há processos de erosão de voçorocas e rastetamento lento do solo devido a ação da gravidade. É registrado também o processo conhecido como revinamento (isisão linear das vertentes, causando sulcos na terra). As maiores altitudes são: 1.065 m na Serra do Imbiruçu, divisa com Sete Lagoas e 946 m na serra da Lontra.
A sede municipal situa-se a 720 m de altitude e tem como coordenadas geográficas 19º15 de latitude Sul e 44º20' de longitude WGR. Dista da capital do estado em linha reta, 84 km no rumo N.N.O e 100 Km por estrada pavimentada (BR-040).
A vegetação original da área é o cerrado. O clima da região é mesotérmico, com verões quentes e chuvosos, de invernos secos. A Média de temperaturas máximas é 34ºC , de mínimas é de 8ºC, e a média compensada é de 21ºC.




Caetanópolis possui atualmente 10.227 habitantes (Censo 2010). Sua população está distribuída na área central, 9 bairros residenciais e 3 povoados rurais.
Infra-estrutura:
A cidade é servida pela CEMIG (fornecimento de energia elétrica), COPASA (tratamento de água), OI (telefonia fixa) e por diversas operadoras de telefonia celular. O serviço de esgoto sanitário é mantido pela Prefeitura Municipal. A população dispõe de agências do Banco do Brasil, Bradesco, Banco Sicoob e dos Correios.
O transporte coletivo rodoviário é feito por duas empresas: a Empresa Setelagoano faz o transporte para Sete Lagoas e Belo Horizonte, e uma empresa local atende aos bairros e faz o trajeto para a vizinha cidade Paraopeba.
No setor de segurança pública, o município possui uma Delegacia de Polícia e um batalhão da Polícia Militar, tendo um baixo índice de ocorrências.




 A economia do município


Agricultura e pecuária: A atividade agrícola apresenta-se bastante limitada por dois fatores: o primeiro é a qualidade do solo, onde predominam canascais e a erosão é do tipo laminar; o segundo fator é o reflorestamento em grandes áreas. Principais produtos: café, mandioca, milho, feijão , cana e arroz.
 Na pecuária, destaca-se rebanho leiteiro, bem como o rebanho raceado (zebuínos e holandês).
 Indústria: Esta é a principal atividade econômica urbana, através da Cia. Cedro Cachoeira (indústria têxtil), a qual empregou 771 pessoas em 1970, 1.054 pessoas em 1980, caindo para 520 pessoas em 1992 e 416 pessoas em 1996. A queda nas vendas e a modernização industrial podem ser apontadas como responsáveis por este quadro. Na década de 1980, a empresa instalou nova unidade no Município.
Micro e pequenas empresas atuam nos setores de extração e beneficiamento de pedra ardósia, além de cultura de grama.
 Comércio: De pequeno porte, predominando a venda de alimentos e bebidas.Esta atividade tem registrado pouca evolução, devido à proximidade do município com outros centros comerciais maiores (Paraopeba a 3 km, Sete Lagoas a 30 km e Belo Horizonte a 100 km).



 Saúde e assistência social:

Hospital Dr. Pacífico Mascarenhas
Os problemas de saúde não fogem da realidade nacional, refletido pelas condições sociais em que vivem grande parcela da população brasileira. Porém, o município de Caetanópolis conta hoje com uma estrutura que atende razoavelmente a sua população. O município ainda recebe pacientes dos municípios vizinhos, o que provoca um aumento considerável dos custos operacionais com os serviços de saúde.
 Além do hospital Dr. Pacífico Mascarenhas, a cidade possui dois postos de saúde (um no centro, outro no bairro Nossa Senhora da Graças), dois laboratórios de análise clínicas, sendo um da rede municipal e outro particular. A cidade conta com três farmácias, sendo uma da rede municipal e duas particulares.
 O município participa ainda de um consórcio intermunicipal de saúde com os municípios da região visando ainda o serviço de vigilância sanitária atuando em parceria com a Fundação Nacional de Saúde (FNS). O atendimento odontológico é feito através de clínicas particulares e em um dos postos de saúde, com serviço preventivo à saúde bucal.
Assistência Social: O município começou a trabalhar a assistência social de modo diferente a partir de 1997. Foram reorganizadas as entidades comunitárias, que chegam a um total de 23, as quais abrangem serviços de diversas naturezas como: proteção ao menor, formação educacional; atendimento à saúde, conscientização comunitária; assistência à criança e ao idoso, movimentos culturais, etc. São elas:
  • Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Nossa Senhora das Graças
  • Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Santo Antônio
  • Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Mangueira
  • Associação Comunitária dos Moradores do conjunto Habitacional José do Prado
  • Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Imperial
  • Associação dos Aposentados e Pensionistas de Caetanópolis
  • Conselho comunitário dos Moradores do Bairro Imperial,
  • Conselho Particular de Santo Antônio
  • Conferência de São Bento
  • Conferência de São João Batista
  • Conferência de São Sebastião
  • Conferência do Imaculado Coração de Maria
  • Conferência de São Dimas
  • Conferência de "Nossa Senhora da Conceição"
  • Grupo Espírita Paulo de Tarso
  • Asilo Maria Augusta Teixeira
  • Pastoral da Criança
  • Escola da Comunidade Bernardo Mascarenhas
  • Hospital "Dr. Pacífico Mascarenhas"
  • Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Caetanópolis.
Para a assistência aos carentes, a cidade possui o Lar dos Idosos, a creche Clara Nunes, o abrigo para menores e o projeto Projovem. Caetanópolis também já implantou o CRAS - Centro de Referência de Assistência Social.




O Município tem a educação como a principal área de desenvolvimento social. Tanto é que o índice de crianças fora da escola é inferior a 1% da população em idade escolar. Hoje tem em pleno funcionamento: uma escola estadual, quatro escolas municipais, uma escola comunitária e uma escola particular. Atende, portanto, o ensino médio e fundamental completo e ainda dá oportunidade àqueles que não tiveram acesso ou não completaram os estudos no período regular através de programas de alfabetização.
O Município ajuda a manter uma escola de educação especial, para crianças portadoras de deficiência física e mental, através de fornecimento de profissionais habilitados para atuarem na área de educação especial.
A biblioteca pública possui um rico acervo com mais de 10.000 livros, auxiliando os alunos de todos os graus de ensino.
Há incentivo aos estudantes a prosseguirem os seus estudos nos cursos técnicos, profissionalizantes e universitários nas cidades vizinhas, através de auxílio à Associação dos Estudantes.
O trabalho educacional nas escolas públicas do município é desenvolvido em total sintonia com os movimentos comunitários, promovendo um verdadeiro mutirão ao do processo ensino-aprendizagem. É feita distribuição de material escolar para os alunos do pré-escolar, ensino fundamental e médio anualmente.

Esportes:

Ginásio Poliesportivo Raymundo Juvenal
Machado Goulart (Chá), no bairro Santo Antônio
Para atender à área de esportes, a cidade possui dois estádios de futebol: o estádio Quintiliano Mascarenhas no centro, fundado em 15 de agosto de 1917, e o Estádio Municipal no Bairro N. Senhora das Graças. Ao lado da fábrica de tecidos, o Clube Social Recreativo possui piscina e quadra esportiva. A cidade conta ainda com um ginásio poliesportivo coberto no bairro Santo Antônio, inaugurado em junho de 2000.






Aspectos culturais
As festividades religiosas marcam o calendário do município, com diversas festas durante o ano.
Grupos de Pastorinhas e Folias de Reis se manifestam em dezembro percorrendo as casas, cantando e louvando ao menino Jesus. Em janeiro realiza-se o Encontro Folclórico de Folia de Reis e Pastorinhas de Caetanópolis e região.
A Banda de Música "Euterpe Santa Luzia" anima as festividades da cidade.

Na Casa de Cultura são realizados diversos projetos culturais, incluindo cursos e oficinas de violão, viola e cavaquinho, danças, capoeira, pintura e de contadores de histórias.



Fonte: Biblioteca Municipal D. Mariquita Saldanha